Link para página

Museu

O espaço é constituído por dois edifícios contíguos – o edifício histórico designado por "Solar dos Cavaleiros", um palacete construído no século XVIII e um edifício contemporâneo do século XXI. A sua localização é privilegiada uma vez que se encontra no coração da zona histórica de Castelo Branco, nas imediações da Praça Camões, também designada por "Praça Velha". Para além das diversas salas expositivas nos edifícios, encontram-se outras áreas específicas associadas às atividades do museu, como a Biblioteca e a sala do Serviço Educativo, bem como a Loja e um pequeno anfiteatro ao ar livre, com condições para acolher as mais diversas atividades e espetáculos.

O Museu Cargaleiro abriu ao público no dia 9 de setembro de 2005 ocupando o edifício histórico "Solar dos Cavaleiros", com a exposição Cargaleiro - 60 anos a celebrar a cor. No dia 10 de junho de 2011, inserido no âmbito das Comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, foi inaugurado pelo digníssimo Presidente da República, Professor Aníbal Cavaco Silva, o novo edifício contemporâneo, ampliando o conhecimento do espólio, com a exposição intitulada Manuel Cargaleiro - Vida e Obra.

O Museu Cargaleiro tem como missão: estudar, inventariar, conservar, interpretar, expor e divulgar a Coleção da Fundação Manuel Cargaleiro. Este importante acervo museológico possui características únicas que conferem ao museu uma importante ação de interpretação de diferentes realidades artísticas e históricas através de uma programação que se pretende diversificada através de exposições temporárias e complementada com a oferta dos serviços do Museu, nomeadamente da Biblioteca e do Serviço Educativo.

Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro

    Considerando o estabelecimento do Museu Cargaleiro em Castelo Branco, é objetivo principal dar a conhecer à comunidade local e aos visitantes, a riqueza das obras da Coleção da Fundação Manuel Cargaleiro. Objetivo que se cumpre com as exposições, como também com outros eventos que permitem a transmissão, o acesso e a partilha de grandes obras e de grandes artistas, com reconhecimento ao nível nacional e internacional, com destaque para as obras do artista Manuel Cargaleiro.

    Existem também outros objetivos que possuem carácter relevante, porquanto são elementos orientadores no funcionamento da instituição, designadamente:

    • promover o espaço museológico, o acervo artístico da Coleção da Fundação Manuel Cargaleiro e a cidade de Castelo Branco;
    • realizar uma programação que permita uma melhor e organizada fruição do espaço, e criar condições de acessibilidade para todos os públicos;
    • criar dinâmicas para o estabelecimento do contacto entre o museu e o público com caráter pedagógico, nomeadamente através do Serviço Educativo;
    • estimular o conhecimento e a leitura ao nível da Arte e da História e de outras áreas associadas, através dos núcleos expositivos e da Biblioteca;
    • proporcionar o estudo da Coleção da Fundação Manuel Cargaleiro por parte de investigadores externos à instituição;
    • desenvolver exposições temporárias da Coleção da Fundação Manuel Cargaleiro;
    • criar parcerias com diferentes entidades no sentido do desenvolvimento das atividades do Museu, nas suas diversas áreas de atuação.

    Comendador Joaquim Morão
    Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco

    A instalação do Museu Cargaleiro em Castelo Branco representa uma aposta forte na divulgação de um nome prestigiado das artes portuguesas e na dinamização do sector cultural e turístico na Cidade e na Região.
    Conhecido e reconhecido no nosso País e além fronteiras, o Mestre Manuel Cargaleiro tem um percurso ímpar no mundo das artes plásticas, razão (também) pela qual visitar o Museu é a oportunidade de ver e conhecer uma obra única.
    Com uma produção vasta e diversificada - pintura, cerâmica, azulejaria, tapeçaria, para referir apenas algumas das áreas mais representativas da sua obra - Manuel Cargaleiro é também um coleccionador incontornável no panorama nacional.
    Estas circunstâncias - de artista plástico e coleccionador - aliadas à sua generosidade levaram-no a criar a Fundação Manuel Cargaleiro, uma instituição com a qual pretendeu garantir o acesso e fruição por parte do público às obras que criou e coleccionou ao longo de uma vida.

    É da parceria entre a Fundação Manuel Cargaleiro e a Câmara Municipal de Castelo Branco que nasceu o Museu Cargaleiro, constituído por dois edifícios - um palacete do séc. XVlII e um edifício contemporâneo - que funcionam de forma única, integrada e complementar.
    O trabalho e investimento que a Câmara Municipal de Castelo Branco já realizou não deixam - nem poderiam deixar - quaisquer dúvidas sobre a capacidade e empenhamento da Autarquia em cumprir os compromissos publicamente assumidos com a Fundação Manuel Cargaleiro e que resultam da vontade reiteradamente manifestada pelo seu instituidor e Presidente vitalício, Mestre Manuel Cargaleiro: garantir a unidade, o estudo, a conservação e a divulgação da Colecção de Arte da Fundação Manuel Cargaleiro, que representa o trabalho e o sonho de toda a vida do homem e do artista.
    A este propósito, permito-me uma adaptação livre de uma citação famosa:

    Manuel Cargaleiro sonhou

    A Câmara Municipal de Castelo Branco quis

    A obra nasceu

    Ao fim de mais de 20 anos de existência da Fundação Manuel Cargaleiro, a Câmara Municipal de Castelo Branco deu corpo aquele que havia sido o objectivo central que presidiu à criação da Fundação: A criação de um museu onde pudesse ser exibida e estudada a Colecção de Arte.

    texto publicado no Suplemento do Jornal Expresso, Maio 2012


    Foto Inauguracao Edificio Praca Academica 062011
       
    Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, Presidente da República Portuguesa e esposa,  e o mestre Manuel Cargaleiro na visualização da obra “A porta da vizinha que nunca conheci”, aquando da inauguração do novo edifício no dia 10 de junho de 2011.